10 de novembro de 2014

Eu poderia estar, mas não estou

São oito horas da manhã, eu deveria estar estudando, poderia lavar o quintal, quem sabe, mas estou stalkeando um cara para tentar descobrir se ele é homossexual ou não. Essa história é velha, na verdade, longa e sem graça também, só que eu preciso saber disso da mesma forma que crianças precisam puxar a barba do Papai Noel: porque sim. A pesquisa que fiz no Twitter teria ajudado se o pessoal não tivesse ficado em cima do muro. Quer dizer, eu tenho dedo bom para gays, dessa vez, porém, existe falibilidade emocional, o que compromete o projeto. Não, não é nada do que vocês estão pensando. Não me faltem com o respeito.

Olha, não precisa achar o parágrafo anterior ofensivo. Estamos falando de héteros e homos que, por definição, não se conectam. Então, tudo bem. É muito frustrante encontrar um cara bonito e depois descobrir que a chave é do quintal e não da porta da frente, não é mesmo? É uma decepção amorosa que não nos pertence. Não que tenha acontecido comigo, mas conheço c e r t a s p e s s o a s. No mais, gays são tão legais que a gente se apaixona mesmo, acontece.

Sabe quando você prepara a sua granola com leite e esquece? A minha virou pasta. Sim, nojento. Era o meu café da manhã, mas acho que não mais. Faz parte do meu dia, agora, deixar um monte de coisa pela metade. Tenho de ser multiuso na hora e momento em que descubro que não sirvo para isso. Trágico. Por isso não escrevo mais para o blog e quando publico, sai cocô. Não consigo administrar minha agenda, dando ênfase ao fato de não ter uma o que, obviamente, deixa tudo mais complicado. Visito um monte de blogs sobre organização, mas nenhum ensina a organizar agendas sem ter tempo para comprar uma. Cadê seu deus agora?

E devo lembrá-los que meu notebook novo, só que não, ainda não foi definitivamente arrumado para melhor me atender e tenho TOC de HD bagunçado. Simples assim. Ou seja, perco tempo baixando, instalando e arquivando tudo. De novo. Em menos de um mês. Daí, parei de fingir que estou estudando, que me importo com essa merda, e vim escrever para o blog, stalkear e tweetar. É, já vivi épocas melhores.

3 comentários:

Mia Sodré disse...

Mas sejamos otimistas porque, afinal, tá chegando fim de ano, o que significa um grande "feliz agenda nova" para todos. Quem sabe aí você consiga comprar uma e fazer uma bagunça organizada, né mesmo? ~tenhamos fé~

Thay disse...

Ah, Del, eu lembro desse caso! HAHA, pois é, eu também não soube como te ajudar a descobrir as preferências do moço. Estou passando por uma epopeia parecida, haha, e também não sei dizer de que lado o tal do moço joga! Ê vida bandida.

E fiz a mesma coisa quando chegou meu notebook novo. Com um bilhão de coisas pra fazer, perdi o maior tempo (re) organizando os arquivos no novo equipamento simplesmente pq eu não conseguia pensar em ter tudo bagunçado. Haha, só as loucas como nós para conseguir entender essa necessidade. Era quase como se as coisas fora do lugar ficassem me chamando "eiii, estou no lugar errado, me arruuuume". Perfeccionismo atrapalha a vida.

Beijo!

Cyntia Campos disse...

Quase diariamente acontece comigo: estar voltando para casa no ônibus e começo a me organizar mentalmente com afazeres uteis para quando chegar em casa. Daí eu ligo o computador e esqueço tudo o que eu tinha planejado e mais tarde fico com a sensação de "perda de tempo" e prometo no outro dia fazer tudo o que era para ter sido feito, mas o ciclo vicioso já foi gerado. haha

Sobre descobrir se alguém é ou não gay sem querer perguntar isso diretamente, se houver amigos em comum pergunta a eles ou procura saber quais as músicas preferidas dele. Música diz muito sobre a pessoa.

Postar um comentário